domingo, 22 de maio de 2011

Jacques Prévert

     PÁGINA DE ESCRITA

     Dois e dois quatro
     quatro e quatro oito
     oito e oito dezesseis...
     Repitam! diz o mestre
     dois e dois quatro
     quatro e quatro oito
     oito e oito dezesseis.
     Mas eis o pássaro lira
     que passa no céu
     o menino o vê
     o menino o ouve
     o menino o chama
     Salva-me
     brinca comigo
     pássaro!
     Então o pássaro desce
     e brinca com o menino
     Dois e dois quatro...
     Repitam! diz o mestre
     e o menino brinca
     o pássaro brinca com ele...
     Quatro e quatro oito
     oito e oito dezesseis
     e dezesseis e dezesseis quanto é?
     Não é nada dezesseis e dezesseis
     e sobretudo não trinta e dois
     de qualquer modo
     e eles se vão.
     E o menino esconde o pássaro
     na sua classe
     e todos os meninos
     ouvem sua canção
     e todos os meninos
     ouvem a música
     e oito e oito por sua vez se vão
     e quatro e quatro e dois e dois
     por sua vez se retiram
     e um e um não fazem nem  um nem dois
     um a um se vão igualmente.
     E o pásssaro lira brinca
     e o menino canta
     e o professor grita:
     Quando terminarão com esta palhaçada!
     Mas todos os outros meninos
     escutam a música
     e os muros da aula
     se desmoronam tranqüilamente.
     E as vidraças voltam a ser areia
     a tinta volta a ser água
     as classes voltam a ser árvores
     o giz volta a ser rocha
     a pena volta a ser pásssaro. 

Um comentário:

  1. Que os pássaros sempre existam... e o seu canto nos despertem...

    ResponderExcluir